Imagen Cabecera

Segurança Alimentar: ISO 22000. EUREPGAP, BRC, IFS e SAL

Um controlo exaustivo de toda a cadeia alimentar garante alimentos seguros para o consumo, contribuindo desta forma para reforçar a confiança do cliente na empresa.

Norma ISO 22000 especifica os requisitos necessários para planear, implementar, operar, manter e actualizar um sistema de gestão da segurança alimentar.

Permite às empresas demonstrar a sua capacidade para identificar, prevenir e controlar qualquer agente químico, físico ou biológico que possa contaminar os alimentos, adequando-se às exigências tanto dos clientes como regulamentares.

É aplicável a qualquer organização que forme parte da cadeia alimentar independentemente do seu tamanho e complexidade: produtores primários, alimentos para animais, operadores de transporte e armazenagem, comerciantes, retalhistas, serviços de catering, serviços de limpeza e distribuição, fabricantes de agentes de limpeza e desinfecção ou de material de embalagem e vasilhames.

A certificação marca AENOR de conformidade com os protocolos BRC Alimentação, IFS e SAL são outros sistemas de certificação de conformidade. Estas especificações Técnicas são aplicáveis a qualquer tipo de produto agro-alimentar e, pelos requisitos que contemplam, a certificação dos mesmos permite aos fornecedores demonstrar o seu cumprimento com estas especificações para empresas fornecedoras de produtos alimentares.

De igual forma, permitem compatibilizar outras certificações como a das normas ISO 9000 de sistemas de gestão da qualidade e da série de normas UNE 155000 sobre produção controlada de frutas e hortaliças para o consumo em fresco.

A certificação marca AENOR com o protocolo BRC/IOP inclui requisitos e recomendações aplicáveis a todo o tipo de centros de onde se fabriquem e forneçam embalagens utilizadas na indústria alimentar, assim como para aquelas que podem ser adquiridas por consumidores e que entrarão em contacto final com os alimentos.

O sistema de certificação da AENOR de conformidade com oprotocolo GLOBALGAP para frutas e hortaliças de consumo em fresco estabelece boas práticas agrícolas respondendo à preocupação dos consumidores no que respeita à segurança dos alimentos, à redução do uso de pesticidas, ao respeito pelo meio ambiente, à melhora da utilização dos recursos naturais e ao bem-estar dos trabalhadores.